sexta-feira, 12 de junho de 2015

Eu e o Dia dos Namorados



Hoje é o Dia dos Namorados. Quem me lembrou foi minha mãe. Entrei no facebook só pra mandar um recado pro meu namorado avisando que meu celular tá de frescura e então encontro milhares de postagens de casais, amigos meus, declarando amor e etc etc.

Não é por falta de sensibilidade, mas já faz um tempo que só comemoro dias de aniversário. Demonstro carinho todos os dias aos meus pais, meu namorado e amigos, digo até conhecidos. E me estranha bastante eu ter de demonstrar isso, meio que pressionada, por esses dias comemorativos.

Convivo quase que diariamente com meu namorado, que carinhosamente chamo de chuchu. E essa brincadeira começou desde o começo do nosso namoro. A gente não costuma se beijar publicamente e nem postar foto diariamente pra provar nosso relacionamento. Totalmente desnecessário pra quem não tem tempo.

Eu também trabalho com meu namorado. A gente tem uma relação de amizade e temos opiniões muito diferentes sobre muita coisa. Temos nossos defeitos que faz a gente brigar com uma certa frequência. Mas somos felizes assim.

A gente sonha com um dia de folga. Um dia em que a gente tenha uma noite romântica com jazz, vinho e pizza. Ou talvez uma noite bebendo cerveja e jogando sinuca. Mas hoje não é esse dia.

Não fiz nada pra ele. Não tenho dinheiro pra presente. Ele muitas vezes me vem com chocolate. E isso pra mim é mais importante do que ele me trazer um presente (de última hora) por causa de um dia comemorativo. Nada contra.

São quase quatro anos de relacionamento e posso dizer que foi maduro desde o começo. Ele é mais velho e eu tive outros relacionamentos que me fizeram mais madura (graças!). Ainda tenho muita coisa pra aprender. Sou muito egoísta às vezes.

Hoje eu vi uma postagem com o título "ainda dá tempo", mostrando presentes pra dar de última hora. O que me fez refletir. Por isso o motivo desse post. Queria que as pessoas fossem mais livres, naturais e espontâneas. E também sinceras com elas mesmas. Que não se sintam mal por terem esquecido alguma data, ou por não terem comprado um presente. A gente tem a vida inteira pra dar um presente.

Eu tou "fazendo" um presente pra uma amiga há mais de um ano. Tenho a garantia que ela vai gostar porque conheço ela o suficiente pra ter certeza.

Também sei exatamente o que o meu namorado quer e também do que ele precisa. Isso é melhor do que ir na Boticário e comprar um perfume. Ou uma caixa de chocolate. Ninguém lembra depois do que deu e do que recebeu.

Quem sabe eu escreva uma carta? Não faz sentido. Amanhã estaremos juntos e posso dizer o que deixei de escrever.

Nenhum comentário: